Quarta-feira, 20 de Fevereiro de 2008

Trabalho de campo

No dia 30 de Janeiro, alguns elementos do nosso grupo dirigiram-se a câmara municipal com o intuito de obter informações sobre projectos a desenvolver na nossa cidade. Ao entrarmos no edifício da Câmara Municipal e indicarmos o propósito da nossa visita, encaminharam-nos para o arquitecto João Ferreira, responsável pelo Departamento de Cultura, com o qual conversámos acerca de alguns projectos essenciais para o desenvolvimento do nosso trabalho.
 

 

Fomos recebidos pelo já referido arquitecto que se revelou muito prestável para connosco, tendo contribuído de forma construtiva com alguns concelhos, ideias para o nosso trabalho em desenvolvimento e também alguns contactos que se revelaram muito úteis para o nosso grupo. Em seguida, entrámos em contacto com as arquitectas Ilda Fonseca e Catarina Pereira para termos acesso a mais informações, incluindo planeamentos de diversas zonas da nossa cidade, e com as quais tirámos algumas dúvidas em relação ao tipo de informação à qual poderíamos ter acesso, de forma a orientar-mos, da melhor maneira possível, as nossas directrizes com o objectivo a atingir os fins propostos.
 Reunimo-nos com as arquitectas no Centro Cultural de Congressos, onde falámos sobre alguns temas, como por exemplo: o Programa Polis, o Plano do Parque Desportivo, o Comboio de Mercadorias que irá ligar o Porto Comercial a Cacia e sobre o “Supercor” do El Corte Inglés, que poderá vir a existir em Aveiro.
 
 Na aula seguinte de Área de Projecto, dirigimo-nos ao Centro Cultural de Congressos para uma reunião, marcada previamente, com a arquitecta Ilda Fonseca, do Departamento de Desenvolvimento e Planeamento Territorial, que nos facultou alguns documentos e plantas de algumas áreas da nossa cidade nas quais observámos os projectos de algumas zonas de Aveiro, como por exemplo, o “Plano do Centro”, “Plano da Baixa de Santo António” e o “Plano do estádio Mário Duarte”, nos quais observámos os tipos de construções que poderão vir a ser ali construídos.
 

No “Plano do Centro”, que consiste na zona circundante da antiga Fábrica Campos, actual Centro Cultural de Congressos (onde se encontra o atendimento ao público da Câmara Municipal de Aveiro), observámos os planos de construção de diversos edifícios que poderão conter comércio, habitação e serviços e também a planificação dos espaços públicos daquela zona. Nessa área da cidade, era possível encontrar, para além dos planos dos edifícios, o planificação de uma linha de metro de superfície, que poderia vir a ligar o Campus da Universidade de Aveiro à Estação de Comboios, prolongando, eventualmente, o trajecto da actual automotora que faz a ligação Águeda – Aveiro. No entanto, este projecto não é economicamente viável para a cidade, não sendo prevista a sua construção para um futuro próximo. Nessa zona verifica-se também a existência de um Barreiro, que pertencia à antiga Fábrica Campos, Barreiro esse de onde se retirava barro para alimentar a indústria, e onde foram encontrados fósseis (de tartaruga), sendo essa zona, por isso, um local de grande importância do ponto de vista científico, razão pela qual não serão efectuadas construções nessa área, encontrando-se esta, actualmente a céu aberto.
 Nessa zona, encontra-se também uma capela, a capela de S. Tomás de Aquino (antiga propriedade da Fábrica Campos, utilizada pelos operários da fábrica) tendo esta construção sido destruída por um incêndio, e que virá a ser recuperada no futuro.
  No plano da "Baixa de Santo António", a conhecida zona do Alboi, observámos que está planeada a existência de edifícios de habitação multifamiliar/ multifuncional naquela área da cidade que irá conter serviços, habitação e comércio. Quanto à zona do parque, em si, vai haver uma reabilitação da zona ajardinada que está contida nesse plano. Como pode ser observado pelo plano que está acima.
 
 Quando interrogámos sobre o "Programa Polis", foi-nos dito que já tinha sido concluído este projecto, e que, durante o período em que se encontrou em vigor, contribuiu para a reabilitação de inúmeras zonas da nossa cidade, como por exemplo a zona da ria de Aveiro, a limpeza da cidade e da ria, entre outra coisas.
 
 Em relação à reabilitação da zona que está incluida no plano do Estádio Mário Duarte, observámos que está previsto que seja demolido o estádio antigo e os edíficios adjacentes, estando prevista a construção de edificios do tipo de habitação, serviço e comércio, o que irá contribuir em muito para a reabilitação daquela zona da cidade, dado que, actualmente, a zona se encontra muito degradada, estando parcialmente abandonada (a zona adjacente ao estádio), estando, mesmo, em ruínas em algumas zonas.
 Quanto ao "Supercor", em relação ao qual ocorreram alguns rumores sobre a sua vinda para a nossa cidade de Aveiro, as arquitectas que entrevistámos não adiantaram muita informação sobre o caso dado que não havia informação divulgada, embora nos tenham informado sobre a sua possível localização. Tal como as arquitectas que entrevistámos, os elementos do nosso grupo consideram que este seria um bom investimento para a cidade de Aveiro dada a popularidade deste centro de comércio, o que iria melhorar a nossa cidade nesse aspecto.
 
 
publicado por futuraveiro às 12:41
link do post | comentar | favorito
|

.Mais sobre o grupo

.Visitantes

.Maio 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


.posts recentes

. Marina da Barra

. Programa Polis é solução ...

. As obras na Ponte da Barr...

. Comboio de mercadorias Po...

. Trabalho de campo

. A Barra de Aveiro

. Casa Major Pessoa e a Art...

. Aveiro, a Veneza de Portu...

. "Programa Polis-Aveiro"

. O Futuro edifica-se sobre...

. O nosso projecto

.arquivos

. Maio 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Novembro 2007

.links

.Aveiro


.Relógio

.Visitantes

Locations of visitors to this page
blogs SAPO

.subscrever feeds

RSSPosts

RSSComentários

RSSComentários do post